Computação em nuvem: veja as 6 principais tendências para 2021

O ano de 2020 foi considerado o ano da computação em nuvem. A expectativa de crescimento, segundo a Associação das Empresas de Software (ABES), é de 35,5% no Brasil, com previsão de investimentos de US$ 411 bilhões, de acordo com a Statista. As empresas onde a transformação digital é maior já investem em ativos estratégicos, como a criação de aplicações críticas e legadas.
Os CIOs, no momento, buscam a migração de serviços como forma de reduzir custos para o negócio e mais segurança para os dados que trafegam na internet. As aplicações em cloud computing também oferecem agilidade, inovação e oportunidade de expansão com a aceleração digital.
As soluções em cloud são muito mais vantajosas do que investir em uma infraestrutura local, além de estarem sempre atualizadas, o que torna essa tecnologia um grande diferencial competitivo e uma vantagem para empresas de todos os tamanhos.
Assim, é evidente que essa tecnologia apresentará novos caminhos no futuro próximo. Veja as 6 principais tendências em cloud computing para 2021.

As 6 tendências de computação em nuvem em 2021

1. Múltiplas nuvens oferecerão muitas oportunidades de negócios

Hoje, os ambientes de TI empregam várias plataformas a fim de se tornarem mais ágeis e desenvolverem os negócios de forma eficiente e eficaz. No entanto, é preciso observar que a maioria das estratégias de nuvem múltipla está mais inclinada para funcionalidade, aquisição e mitigação de risco do que portabilidade de aplicações.
Altamente influenciada pelo nível de flexibilidade, a nuvem híbrida continuará a ser o modelo de implantação preferido das empresas no ambiente de várias nuvens. Estratégias híbridas ou com várias nuvens reduzirão a dependência de um único fornecedor ou soluções cloud, pois muitas vezes ficam presas a contratos.

2. O uso de tecnologia sem servidor e plataformas de contêiner crescerá

Atualmente, as empresas estão confiando mais na computação sem servidor, uma vez que ela oferece espaço para trabalhar em produtos e serviços essenciais sem a necessidade de operar ou gerenciar esse tipo de infraestrutura.
A implementação virtualizada ou orquestração de contêiner na cloud computing chegou para ficar. Os contêineres simplificam a implantação, o gerenciamento e os problemas operacionais associados a uma nuvem híbrida.
Por isso, o crescimento significativo da nuvem híbrida deve incentivar o aumento na implantação de contêineres. Também prevê-se que subsegmentos como ofertas de contêineres sem servidor e orquestração de contêiner em nuvem pública continuem sendo áreas de crescimento-chave.

3. A acessibilidade da arquitetura em nuvem vai subir na lista de prioridades

As discussões em torno da nuvem híbrida sempre destacaram o grande desafio de seu gerenciamento, que era proteger aplicações e dados. Como resultado, os provedores de computação em nuvem investem mais em segurança nativa em suas ofertas. E provavelmente outros, como provedores de gerenciamento de nuvem cruzada, seguirão o mesmo exemplo e adquirirão mais recursos de segurança.
Futuramente, a infraestrutura de TI e as soluções de cloud computing exigirão otimização para se tornarem mais econômicas. Com a transição significativa de pequenas e médias empresas para ambientes em nuvem, os provedores deverão diferenciar seus produtos e ajudar essas organizações a selecionar uma arquitetura de nuvem acessível que ofereça desempenho preferencial.
Assim, nuvem híbrida, computação sem servidor, contêineres e outros irão governar o setor no futuro. Com a crescente dependência da computação em nuvem, as organizações estão aumentando seus níveis de eficiência e produtividade. Com isso, especialistas do setor esperam um uso muito mais amplo da nuvem em 2021.

4. Atualização e implementação de FaaS em computação em nuvem

Function as a Service (FaaS) ou Função como Serviço é parte do serviço de computação em nuvem, que apoia o desenvolvedor na implementação de código, evitando a adoção de infraestruturas complexas.
FaaS é parte da computação sem servidor e se concentra principalmente em gateways, armazenamento, API e outros. Por ser um serviço mais fácil, ao contrário de suas contrapartes IaaS (Infrastructure as a Service ou Infraestrutura como Serviço, em português) e DRaaS (Disaster Recovery as a Service ou Recuperação de Desastres como Serviço, em português), permite ao desenvolvedor economizar tempo na codificação.
Em 2021, mais gigantes da tecnologia escolherão o FaaS como ferramenta para seu trabalho regular. Segundo estudo da Cision, o mercado de FaaS pode crescer algo em torno de US$ 7,72 bilhões. Com isso, a taxa de crescimento anual atingirá até 32,7%.

5. Atualizações de DRaaS e sua implementação em computação em nuvem

O DRaaS também deve seguir seu caminho até 2021. Depois de atualizados, o DRaaS e o FaaS podem formar um excelente sistema com o qual a maioria das organizações pode trabalhar.
O DRaaS pode garantir a segurança do ambiente de computação em nuvem. Uma organização pode evitar prejuízos devido a várias circunstâncias desfavoráveis, como mau funcionamento do driver, ataques cibernéticos e outras calamidades quando se trata de produção.
Ele também pode atuar como um salvador para as licenças de hardware e software de uma empresa e identificar as desvantagens e os riscos da organização nas áreas de portabilidade e mobilidade.

6. Nuvem híbrida ganha importância

O modelo de nuvem híbrida vem ganhando destaque porque consegue atender às demandas nas atividades de empresas que necessitam de grande performance.
Ela consegue garantir a escalabilidade prometida pelos ambientes públicos, e os gestores de TI continuarão sendo os responsáveis por definir e implementar quais serão as políticas de segurança, a partir das demandas que a empresa tem.

Na nuvem híbrida, é possível tornar as soluções de TI mais flexíveis, uma vez que não há necessidade de adaptar os processos ao tipo escolhido.
Além disso, é uma maneira de aproveitar os benefícios da nuvem pública e privada com inteligência. Esse tipo de infraestrutura combina, em um único ambiente, todas as vantagens de privacidade e customização da nuvem privada, com as reduções de custos e flexibilidades da nuvem pública.

Claranet Brasil: o parceiro certo na jornada para a cloud computing

Diante destas tendências, a pergunta que fica é: sua empresa está preparada para migrar sua infraestrutura para a computação em nuvem? Pois saiba que para ter uma estratégia efetiva na nuvem é necessário contar com o melhor parceiro - e ele é a Claranet Brasil.

Quando se trata de computação em nuvem, a Claranet tem parceria com as gigantes do mercado: Amazon Web Services (AWS), Google Cloud Platform e Microsoft Azure.
A nuvem híbrida combina os três tipos de nuvem: On-Premises, Privada e Pública, permitindo rodar seus workloads com a melhor experiência e custo-benefício, hiperconectadas, monitoradas e suportadas de forma única.

A Claranet Brasil tem uma estrutura robusta com forte capacidade para prover serviços de gerenciamento em cloud computing por meio de arquitetura dimensionada especialmente para cada cliente.
Os principais benefícios oferecidos são vendor management, agregação de serviços, acordos locais, praticidade, controle e flexibilidade.
Se você ficou interessado, venha conversar com um especialista Claranet Brasil.

Dúvidas? Entre em Contato conosco

Fale conosco

Por favor, ligue-nos através do número 11 3195-6500 entre as 09:00 - 18:00 de Segunda a Sexta para falar com nossa equipe comercial.

Procura suporte técnico?
A nossa equipe está disponível 24x7x365 para te ajudar, através do número 11 3195-6500.