Tudo sobre DevOps: o que é, vantagens e como implementar

Por muito tempo, os gestores de tecnologia da informação mantiveram as equipes de desenvolvimento e operações como unidades separadas. Mesmo com objetivos de negócios semelhantes, nem sempre esses times conseguiam trabalhar em sintonia.

Neste contexto, os líderes visualizaram a necessidade de desenvolver um modelo de funcionamento integrado que levasse ao desenvolvimento da metodologia DevOps.

O modelo DevOps é muito mais do que uma simples implementação de princípios ágeis para controlar a infraestrutura. Trata-se de uma abordagem que elimina barreiras, aproximando as equipes, a partir de um modelo de trabalho que conduz ao alinhamento dos objetivos de negócios.

Atualmente, a abordagem DevOps é aplicada no desenvolvimento de software em grandes empresas líderes de tecnologias, como Facebook, Netflix, Amazon e Etsy. Portanto, se você está pensando em adotar o DevOps a fim de garantir um melhor desempenho, competitividade e sucesso nos negócios, saiba que essa é uma estratégia inteligente.

Ao longo deste artigo, você conhecerá o conceito, os benefícios e as ações necessárias na jornada rumo a DevOps.

Continue lendo o artigo!

O que é DevOps

Criado em 2009 por Patrick Debois, o termo DevOps (desenvolvimento e operações) é uma extensão de ambientes de desenvolvimento ágil que visa aprimorar o processo de entrega de software como um todo.

No ano seguinte, John Willis e Damon Edwards, criaram a sigla inglesa CAMS (em português, Cultura, Automação, Métricas e Compartilhamento), definindo as premissas do método que visa promover a colaboração entre as equipes de desenvolvimento e operações.

Mais tarde, o acrônimo do modelo DevOps ganhou o "L", de Lean (enxuto) e um "S" adicional de Sourcing (terceirização), resultando na sigla CALMSS.

Em síntese, DevOps é um conjunto de práticas e ferramentas projetadas para aumentar a capacidade de uma organização de fornecer aplicativos e serviços com mais agilidade.

Tal velocidade no desenvolvimento de software permite que as organizações atendam melhor seus clientes e concorram com mais eficácia no mercado.

Em termos simples, DevOps trata de remover as barreiras entre equipes, desenvolvimento e operações tradicionalmente isoladas. Sob um modelo DevOps, as equipes de desenvolvimento e operações trabalham juntas em todo o ciclo de vida do aplicativo de software, desde o desenvolvimento e teste até a implantação e as operações.

DevOps: ciclo de vida e princípios de abordagem

Comunicação, colaboração e integração são os três princípios fundamentais da abordagem sempre crescente e moderna de entrega de software conhecida como DevOps.

O ciclo de vida do DevOps consiste em seis fases, representando os processos, recursos e ferramentas necessários para o desenvolvimento no lado esquerdo do loop. Já os processos, recursos e ferramentas exigidos para as operações ficam no lado direito do loop.

Ao longo de cada fase, as equipes colaboram e se comunicam para manter o alinhamento, a velocidade e a qualidade dos projetos. A seguir, conheça a proposta de cada fase do ciclo de vida do DevOps:

1. Planejamento ágil

Em contraste com as abordagens tradicionais de gerenciamento de projetos, o planejamento ágil organiza o trabalho em iterações curtas (por exemplo, sprints) para aumentar o número de lançamentos. Isso significa que a equipe tem apenas objetivos de alto nível delineados, enquanto faz um planejamento detalhado para duas iterações com antecedência. Isso permite flexibilidade e pivôs, uma vez que as ideias são testadas em um incremento inicial do produto.

2. Desenvolvimento contínuo

O conceito de “tudo” contínuo abrange o desenvolvimento de software contínuo ou iterativo. Sendo assim, todo o trabalho é dividido em pequenas partes para uma produção melhor e mais rápida. Por exemplo, os profissionais confirmam o código em pequenos pedaços várias vezes ao dia para tornar o teste mais simples e fácil.

3. Teste automatizado contínuo

Uma equipe de garantia de qualidade define testes de código comprometidos usando ferramentas de automação como Selenium, Ranorex, UFT, entre outras. Quando bugs e vulnerabilidades são identificados, eles são enviados de volta para a equipe de desenvolvimento.

Este estágio também envolve o controle de versão para detectar problemas de integração com antecedência. Um sistema de controle de versão (VCS) permite que os desenvolvedores registrem as alterações nos arquivos e os compartilhem com outros membros da equipe, independentemente de sua localização.

4. Integração contínua e entrega contínua (CI/CD)

O código que passa nos testes automatizados é integrado num único repositório compartilhado em um servidor. Os envios frequentes de código evitam a demora e as dificuldades da integração, afinal a codificação real é feita aos poucos, com a máxima atenção aos detalhes.

A entrega contínua é uma abordagem que mescla as operações de desenvolvimento, teste e implantação em um processo simplificado, pois depende fortemente da automação. Este estágio permite a entrega automática de atualizações de código em um ambiente de produção.

5. Implantação contínua

Nesta fase, o código é implantado para ser executado em produção em um servidor público, de uma forma que não afete os recursos já em funcionamento, mantendo-se disponível para um grande número de usuários.

A implantação frequente permite uma abordagem de “falha rápida”, o que significa que os novos recursos são testados e verificados antecipadamente. Existem várias ferramentas automatizadas de DevOps que ajudam os engenheiros a implantar um incremento de produto. As mais populares são Chef, Puppet, Azure Resource Manager e Google Cloud Deployment Manager.

6. Monitoramento contínuo

O estágio final do DevOps é orientado para a avaliação de todo o ciclo. Assim, o gestor pode identificar as áreas problemáticas de um processo, bem como analisar o feedback da equipe e dos usuários para relatar imprecisões existentes e melhorar o funcionamento do produto.

DevOps: 5 benefícios do modelo

Com essa estrutura, seguindo os princípios apresentados, a abordagem DevOps traz uma série de vantagens para a equipe de TI. Confira:

  • Velocidade: as práticas de DevOps permitem que o time de profissionais se movimente na velocidade necessária para inovar com mais rapidez, se adaptar melhor aos mercados em constante mudança e se tornar mais eficiente na geração de resultados de negócios;
  • Entrega rápida: quando você aumenta o ritmo de lançamentos, pode melhorar seu produto com mais rapidez e construir uma vantagem competitiva;
  • Confiabilidade: as práticas de DevOps, como integração contínua e entrega contínua, podem garantir a qualidade das atualizações de aplicativos e mudanças na infraestrutura. Assim, a empresa consegue entregar com segurança em um ritmo mais rápido, mantendo uma experiência ideal para os usuários finais;
  • Colaboração aprimorada: em um modelo DevOps, os desenvolvedores e as equipes de operações colaboram estreitamente, compartilham responsabilidades e combinam seus fluxos de trabalho. Isso reduz ineficiências, economiza tempo e melhora a produtividade;
  • Segurança: você pode adotar um modelo DevOps sem sacrificar a segurança usando ferramentas de teste de segurança integradas e automatizadas.

Desafios na adoção do DevOps

Ao adotar o DevOps na nuvem, as organizações conseguem obter ainda mais vantagens. Neste sentido, é importante analisar o Ciclo de Vida de Desenvolvimento de Software e a função das soluções em nuvem em cada estágio.

A seguir, apresentamos a contribuição da nuvem nas fases de construção, teste e execução.

Construir: os aplicativos avançados precisam de pilhas de tecnologia complexas que exigem um grande esforço de desenvolvimento e configuração. A computação em nuvem oferece aos desenvolvedores acesso perfeito às plataformas de desenvolvimento em minutos, em vez dos meses necessários antes. Assim, é possível acessar ecossistemas de aplicativos complicados como SAP em um único clique e as equipes de desenvolvimento podem trabalhar instantaneamente.

Além disso, isso resulta em uma enorme economia de tempo e a disponibilidade sob demanda reduz os investimentos iniciais, pois elimina a necessidade de executar os sistemas quando não estiverem em uso. Altamente valioso, mas menos tangível, é o recurso para descobrir e testar novas abordagens e componentes de tecnologia emergentes da alta acessibilidade que a nuvem oferece.

Experimento: uma abordagem DevOps correta envolve fazer todo o trabalho inovador ou manual antecipadamente na fase de construção. Assim, as demais fases do ciclo de desenvolvimento do software são executadas em um pipeline totalmente automatizado. O teste automatizado é vital para transformar a visão em realidade, e a capacidade de criar e destruir ambientes de teste automaticamente é necessária para encerrar os testes automatizados com sucesso.

Além disso, a nuvem oferece recursos integrados para otimizar ambientes de teste de maior complexidade à medida que o time avança no pipeline de entrega. Agora, os ambientes de teste que começam a se aproximar da complexidade e do escopo da produção podem ser desenvolvidos de forma rápida e econômica com a nuvem.

Executar: geralmente, a implantação de um sistema ou aplicativo requer infraestrutura nova ou adicional. A nuvem oferece alta velocidade no desenvolvimento de ambientes operacionais que são escaláveis, flexíveis e eficientes em termos de recursos.

A importância de integrar DevOps e Scrum

As empresas de TI precisam adotar métodos mais ágeis de produção e entrega contínua de sistemas.

A integração contínua entre DevOps e Scrum, uma estrutura mais colaborativa e ágil, chegou para substituir o método cascata antes aplicado na organização do fluxo de desenvolvimento de software.

Sendo assim, atualmente, adotar as metodologias DevOps e Scrum é unir “o melhor dos mundos”, implementando uma nova forma de trabalho que gera uma série de vantagens.

Na prática, a cultura DevOps oferece mais transparência à rotina de trabalho, otimizando a gestão dos Sprints. Afinal, todos os registros ficam acessíveis para os colaboradores em todas as fases do projeto.

De outro modo, a integração Scrum-DevOps também é importante porque melhora a organização do Product Backlog, destacando as ações prioritárias dentro do projeto.

Como iniciar uma jornada DevOps

Sendo assim, o gestor de TI e seu time podem usar as práticas, processos, estruturas e fluxo de trabalho, com base na filosofia DevOps, para ganhar velocidade e escala no ciclo de vida de desenvolvimento de software. Tudo isso sem sacrificar a segurança, minimizando os riscos, garantindo a conformidade e reduzindo o atrito e os custos.

DevOps permite que as equipes de desenvolvimento, operações e segurança equilibrem a segurança e a conformidade com a velocidade de entrega e criem segurança em todo o ciclo de desenvolvimento do software.

Nesta jornada rumo a DevOps, é importante que o gestor de TI e o time tenham clareza sobre alguns passos relevantes para o sucesso desta estratégia:

  • Estude a fundo o conceito de DevOps;
  • Monte equipes engajadas e motivadas, que aceitem a inovação e o trabalho em conjunto;
  • Faça testes-piloto;
  • Adote metodologias ágeis (Agile, Kanban, entre outras).

Além disso, é importante investir em processos automatizados e definir indicadores de desempenho, que deverão ser analisados periodicamente.

DevOps: o investimento vale a pena?

Para otimizar a jornada DevOps, muitas empresas optam por investir em uma consultoria especializada neste tipo de metodologia. O objetivo é aprimorar e ganhar agilidade nos processos internos, com a orientação de consultores preparados para implementar a metodologia.

Enquanto isso, os times de TI e operações podem se dedicar exclusivamente às suas funções. Além disso, uma consultoria DevOps pode oferecer suporte na capacitação do time.

Afinal, o sucesso deste tipo de metodologia depende de uma mudança de cultura, que se torna viável somente quando os colaboradores são orientados, treinados e incentivados a buscar as melhores ferramentas.

Na prática, os consultores contribuem para mudar a percepção dos profissionais e a gestão dos processos, focando na abordagem DevOps. Por isso, vale a pena investir em consultoria, como a oferecida pela equipe da Claranet.

Futuro do DevOps na nuvem: como a Claranet ajuda os seus clientes

Implementar a metodologia DevOps em cloud é fundamental para as empresas que buscam mais disciplina para elaborar e aderir a uma estratégia que leve à estabilidade e consistência.

Para conduzir a estratégia DevOps na empresa e gerenciar os desenvolvedores de software e as operações, o gestor de TI pode contar com o suporte de um parceiro estratégico, como a Claranet.

A consultoria DevOps é realizada por equipes externas, contratadas especificamente para acompanhar todo o processo de criação e implementação de um projeto.

Os consultores da Claranet, por exemplo, dão suporte aos clientes ao longo da jornada para nuvem da AWS, usando a metodologia DevOps.

Gostou do artigo e quer implementar essa metodologia na sua empresa também? Entre em contato conosco para saber mais sobre DevOps!