NIST Cybersecurity framework

Cada vez mais, as organizações buscam ferramentas capazes de prevenir, detectar e responder a ameaças e ataques cibernéticos, viabilizando o gerenciamento de riscos e fortalecendo a política de segurança da informação.

Segundo estudo da IBM, o custo médio de uma violação de dados pode chegar a US$ 3,92 milhões. Ou seja, é urgente investir em ferramentas para evitar incidentes cibernéticos, como violações e vazamentos de dados.

Neste contexto, o NIST Cybersecurity Framework é uma alternativa eficaz, já que fornece uma estrutura, baseada em padrões, diretrizes e práticas existentes para gerenciar e reduzir o risco de segurança cibernética.

Sabendo que essa é uma boa prática, preparamos este artigo completo, que apresenta a estrutura, o potencial e as vantagens do NIST Cybersecurity Framework. Continue a leitura!

O que é o NIST?

O Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) é um órgão que opera dentro da estrutura do Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Antes denominado National Bureau of Standards, o NIST mantém padrões de medição com programas ativos para promover a inovação e a competitividade industrial dos Estados Unidos.

Seu principal objetivo é proteger setores como manufatura avançada, segurança cibernética, biociência da saúde e muitos outros, aumentando a segurança econômica nos diferentes mercados.

O que é o NIST Cybersecurity Framework?

Criado pelo National Institute of Standards and Technology (NIST), o NIST Cybersecurity Framework é uma ferramenta poderosa para organizar e melhorar seu programa de segurança cibernética.

Basicamente, o NIST Cybersecurity Framework apresenta uma série de diretrizes e práticas recomendadas para ajudar as organizações a construir e melhorar sua postura de segurança cibernética.

Dessa maneira, as organizações têm acesso a um conjunto uniforme de regras, diretrizes e padrões, que permitem identificar e detectar ataques cibernéticos. O NIST Cybersecurity Framework orienta as companhias sobre como responder, prevenir e se recuperar de incidentes cibernéticos.

Se você está elaborando um programa de segurança cibernética ou já está executando um programa bastante maduro, a estrutura pode agregar valor, atuando como uma ferramenta de gerenciamento de segurança de nível superior que ajuda a avaliar o risco de segurança cibernética em toda a organização.

A estrutura categoriza todos os recursos, projetos, processos e atividades diárias de segurança cibernética em cinco funções principais. São elas:

  • Identificar: compreender como gerenciar riscos de segurança cibernética para sistemas, ativos, dados ou outras fontes.
  • Proteger: definir proteções para garantir que os serviços de infraestrutura crítica sejam fornecidos.
  • Detectar: consiste em definir como um evento de segurança cibernética será identificado.
  • Responder: indica quais ações são tomadas quando um evento de segurança cibernética é detectado.
  • Recuperar: identifica quais serviços devem ser resilientes, bem como descreve as capacidades de restauração de serviços prejudicados.

O objetivo dessas funções é fornecer uma visão estratégica dos riscos de segurança cibernética da organização.

Por que uma empresa deve usar o NIST CSF?

Na prática, ao adotar a ferramenta, a companhia tem condições de compreender, gerenciar e reduzir melhor seus riscos de segurança cibernética. Ela ajuda a determinar quais atividades são mais importantes para garantir a eficiência operacional e a continuidade dos serviços. Por sua vez, essa abordagem ajuda a priorizar os investimentos e maximizar o aproveitamento dos recursos destinados à segurança cibernética.

Ao fornecer uma linguagem comum para abordar o gerenciamento de riscos de segurança cibernética, o NIST CSF é útil na comunicação dentro e fora da organização. Isso porque permite melhorar a comunicação, a conscientização e o entendimento entre as unidades de TI, planejamento e operação, bem como os executivos seniores das organizações.

De outro modo, as companhias também podem usar prontamente o NIST CSF para comunicar a postura de segurança cibernética atual ou desejada para um provedor de serviços.

A estrutura pode ajudar a empresa a superar uma série de desafios de cibersegurança. Listamos alguns dos principais. Confira:

  • A equipe de TI se preocupa com riscos e vulnerabilidades invisíveis.
  • A empresa não tem um inventário preciso dos ativos que precisam ser protegidos.
  • A equipe direciona muito tempo e energia para abordar aspectos que não têm impacto na segurança cibernética, enquanto você gostaria que eles se concentrassem no risco real.
  • Os profissionais de outros setores não entendem o risco cibernético e, portanto, não conseguem contribuir para a mitigação de riscos com práticas mais conscientes e seguras.
  • A empresa está em busca de ferramentas atuais e inovadoras para elaborar e acompanhar um plano estratégico de segurança cibernética, mantendo a máxima conformidade com a legislação e os regulamentos de segurança de dados.

Com o NIST CSF, você passa a ter acesso aos recursos que precisa para priorizar investimentos e decisões em segurança cibernética. A estrutura também ajuda você a raciocinar sobre a maturidade do seu programa e fornece uma estrutura para conversas com os stakeholders envolvidos, incluindo gestores e o conselho de administração.

NIST Cybersecurity Framework: categorias de implementação

Para entender a proposta do NIT CSF, é importante conhecer os níveis de implementação da estrutura ("Tiers"). Eles fornecem contexto sobre como uma organização vê o risco de segurança cibernética e os processos em vigor para a gestão de riscos.

Na prática, os níveis de implementação NIST Cybersecurity Framework descrevem o grau em que as práticas de gerenciamento de riscos de segurança cibernética de uma organização exibem as características definidas na Estrutura (por exemplo, reconhecimento de riscos e ameaças, repetíveis e adaptáveis).

Os Tiers caracterizam as práticas de uma organização em uma faixa, desde Parcial (Tier 1) até Adaptive (Tier 4). Sendo assim, eles refletem uma progressão de respostas informais e reativas para abordagens ágeis, melhorando a gestão de riscos.

Durante o processo de seleção de Tier, a empresa deve avaliar suas práticas atuais de gerenciamento de riscos, ambiente de ameaças, requisitos legais e regulatórios, objetivos de negócios/missão e restrições organizacionais.

Nível 1: Parcial
Essa camada também abrange organizações sem práticas de segurança. Normalmente, as organizações nesse nível realizam a segurança cibernética de maneira ad hoc, com pouca ou nenhuma priorização. Como existem poucos processos, não existe um programa real de gerenciamento de riscos, sendo que a abordagem é feita caso a caso.

Nível 2: Risco informado
Políticas e procedimentos em organizações de Nível 2 costumam ser aprovados pela gerência, mas não como parte de um programa corporativo e não padronizados. A segurança cibernética geralmente não é um elemento estratégico central da organização.

Nível 3: Repetível
Essas organizações provavelmente têm práticas de gerenciamento de risco formalmente aprovadas, com uma gestão dos controles de segurança cibernética. Esses processos e procedimentos são documentados e revisados ​​regularmente. Geralmente, também há um foco maior e de nível superior de liderança em segurança cibernética em toda a empresa.

Nível 4: Adaptativo
Em organizações adaptáveis, os processos e procedimentos são revisados ​​regularmente para se adaptar a novas ameaças e riscos. A organização trata a segurança cibernética como um processo de gerenciamento de riscos corporativos, priorizando a melhoria contínua. Eles entendem a ligação entre os objetivos organizacionais e os riscos cibernéticos.

NIST CSF: os Tiers são equivalentes aos níveis de maturidade?

Os níveis de implementação da estrutura não são níveis de maturidade. Os Tiers fornecem orientação às organizações sobre as interações e coordenação entre o gerenciamento de riscos de segurança cibernética e de riscos operacionais.

O princípio dos Tiers é permitir que as organizações façam um balanço de suas atividades atuais de segurança cibernética, considerando sua missão, requisitos regulatórios e apetite por risco. Assim, é possível avaliar se essa abordagem é suficiente e eficaz.

A progressão para níveis mais altos de maturidade é indicada quando, além de reduzir os riscos de segurança cibernética, também gera economia para a empresa.

NIST Cybersecurity Framework fornece suporte aos requisitos de conformidade

A estrutura e a linguagem comuns da ferramenta são úteis para organizar e expressar a conformidade com os requisitos de uma organização. A abordagem flexível e baseada em riscos ajuda as organizações a gerenciar os riscos e alcançar seus objetivos de segurança cibernética.

Tais objetivos podem ser informados e derivados dos próprios requisitos corporativos de segurança cibernética, bem como exigências de setores, leis aplicáveis, regras e regulamentos.

NIST Cybersecurity Framework permite priorizar as atividades de segurança cibernética

Desenvolver uma estratégia completa, que permita alinhar e priorizar suas atividades de segurança cibernética com seus requisitos de negócios/missão, tolerâncias a riscos e recursos, é um dos desafios da gestão de TI.

A boa notícia é que a ferramenta pode ajudar. Por exemplo, os perfis do NIST CSF também são usados ​​para descrever o estado atual e/ou o estado-alvo desejado de atividades específicas de segurança cibernética.

Como é possível fazer isso, na prática?

Os perfis atuais indicam os resultados de segurança cibernética que estão sendo alcançados atualmente, enquanto os perfis de destino apontam os resultados necessários para atingir as metas de gerenciamento de riscos de segurança cibernética.

A partir da comparação desses perfis, o gestor e os profissionais de TI elaboram um plano de ação para abordar essas lacunas e atender a uma determinada Categoria ou Subcategoria do Framework Core. Ou seja, a ferramenta auxilia na definição de prioridades considerando as necessidades de negócios da organização e seus processos de gerenciamento de riscos.

Os níveis de estrutura fornecem um mecanismo para que as empresas visualizem e entendam as características de sua abordagem de gestão de riscos e ameaças. Com esse panorama, os gestores e profissionais têm condições de definir ações prioritárias para alcançar os objetivos de segurança cibernética.

Com uma compreensão da tolerância ao risco de segurança cibernética, é possível escolher diferentes caminhos para proteger a infraestrutura de TI.

As organizações podem optar por lidar com o risco de diferentes maneiras, incluindo mitigar o risco, transferir o risco, evitar o risco ou aceitar o risco, dependendo do impacto potencial na entrega de serviços críticos.

Em síntese, com o NIST CSF, as empresas adotam processos de gerenciamento de risco que permitem priorizar decisões sobre segurança cibernética. Ele suporta avaliações de risco recorrentes e validação de impulsionadores de negócios para ajudar as organizações a selecionar estados-alvo para atividades de segurança cibernética que reflitam os resultados desejados.

Dessa forma, o framework oferece às companhias a capacidade de selecionar e direcionar a melhoria contínua no gerenciamento de riscos de segurança cibernética.

Como o framework está sendo usado hoje?

Empresas de diferentes setores estão incorporando o framework em suas estratégias de várias maneiras.

Veja as principais contribuições do NIST cybersecurity framework:

  • aumenta a conscientização e a comunicação com os stakeholders, incluindo a liderança executiva;
  • melhora a comunicação entre as empresas, permitindo que as expectativas de segurança cibernética sejam compartilhadas com parceiros de negócios, fornecedores e entre setores;
  • permite que as organizações avaliem e confirmem se estão correspondendo aos padrões, diretrizes e práticas recomendadas da estrutura;
  • orienta a eliminação de conflitos de política interna com legislação, regulamentação e melhores práticas do setor;
  • viabiliza a avaliação de riscos e práticas atuais, fornecendo insumos para elaboração de um planejamento estratégico de cibersecurity.

Ao usar o NIST Cybersecurity Framework, as empresas realmente passam a ter acesso a uma série de recursos valiosos, que permitem aperfeiçoar a estratégia de cibersegurança.

Quer saber mais sobre o tema e fortalecer sua política de segurança cibernética? Entre em contato com nosso time. A Claranet é especialista em cibersegurança e pode ajudar sua empresa a ir mais longe.