On-premise vs Cloud computing: quais as diferenças?

Com tantas diferenças entre as organizações e as novas tecnologias trazidas pela transformação digital, definitivamente não existe uma solução única para todos. A chave é, em vez disso, procurar uma solução que ajude sua empresa a economizar custos e aumentar a eficiência.

Na área de TI, a questão de ambientes on-premise versus ambientes em cloud computing frequentemente surge. Mas que tipo de solução de computação funcionará melhor para você?

A ampla adoção da cloud computing levou muitos fornecedores a mudar o foco dos modelos de entrega local para a nuvem, com a tecnologia cloud revolucionando os recursos de computação on-premise de trabalho. No entanto, para empresas que ainda não mudaram suas aplicações ou armazenamento de dados para a nuvem, a pergunta “Qual é a melhor solução para o meu negócio?” pode ter vindo à mente uma ou duas vezes.

Dito isso, existem empresas que ainda preferem manter uma infraestrutura de armazenamento de dados on-premise em vez de utilizar a cloud computing. Ambas as abordagens oferecem suas próprias vantagens, mas pode não ser fácil distinguir qual seria a melhor para certos tipos de organizações sem a devida consideração.

Se você não está convencido de que a cloud computing é a escolha certa para sua empresa e prefere considerar suas opções antes de tomar qualquer decisão precipitada, reunimos uma lista de benefícios e desafios para cloud computing e on-premise.

Continue a leitura!

On-premise vs Cloud computing

Não é nenhuma surpresa que a cloud computing tenha crescido em popularidade, principalmente pela oferta de flexibilidade, economia de tempo e dinheiro até o aumento de agilidade e escalabilidade.

Por outro lado, o modelo on-premise - onde os servidores ficam localizados na própria empresa - foi a única opção para as organizações por um longo tempo. E até pode continuar a atender adequadamente às suas necessidades de negócios. Além disso, o armazenamento local é confiável, seguro e permite que as empresas mantenham um nível de controle que a nuvem geralmente não possibilita.

Conheça, abaixo, as principais diferenças entre os modelos on-premise e cloud computing.

On-premise

Quer a empresa coloque suas aplicações na nuvem ou decida mantê-los on-premise, a segurança dos dados sempre será primordial. Mas, para as empresas em setores altamente regulamentados, geralmente a decisão é manter tudo ‘dentro de casa’. Saber que seus dados estão localizados em seus servidores internos e infraestrutura de TI também pode fornecer mais tranquilidade de qualquer maneira.

A desvantagem do on-premise é que os custos associados ao gerenciamento e manutenção de toda a infraestrutura podem ser exponencialmente mais altos do que um ambiente de cloud computing.

Uma configuração local requer hardware de servidor interno, licenças de software, recursos de integração e colaboradores de TI disponíveis para oferecer suporte e gerenciar possíveis problemas que possam surgir. Isso nem mesmo leva em consideração a quantidade de manutenção pela qual uma empresa é responsável quando algo quebra ou não funciona.

Cloud computing

A cloud computing difere do modelo on-premise de uma maneira crítica. Uma empresa hospeda tudo internamente em um ambiente local, enquanto em um ambiente de nuvem um provedor terceirizado hospeda tudo isso para você. Isso permite que as empresas paguem conforme a necessidade e aumentem ou diminuam o armazenamento contratado com eficácia, dependendo do uso, dos requisitos do usuário e do crescimento da empresa.

Um servidor baseado em nuvem utiliza tecnologia virtual para hospedar as aplicações da empresa externamente. Não há despesas com manutenção de hardware, é possível fazer backup dos dados regularmente e as empresas só precisam pagar pelos recursos que usam. Para as organizações que planejam uma expansão agressiva, a nuvem tem um apelo ainda maior porque permite que você se conecte com clientes, parceiros e outras empresas em qualquer lugar com o mínimo de esforço.

Além disso, a cloud computing oferece provisionamento quase instantâneo porque tudo já está configurado. Assim, qualquer novo software integrado ao seu ambiente está pronto para ser usado imediatamente após a assinatura. Com o provisionamento instantâneo, qualquer tempo gasto na instalação e configuração é eliminado e os usuários podem acessar o aplicativo imediatamente.

Principais diferenças dos modelos on-premise e cloud computing

Conforme descrito acima, há uma série de diferenças fundamentais entre um ambiente local e um ambiente de nuvem. Qual caminho é o correto para sua empresa depende inteiramente de suas necessidades e do que você procura em uma solução.

Desenvolvimento

On-premise: Em um ambiente local, os recursos são implantados internamente e na infraestrutura de TI de uma empresa. A empresa é responsável por manter a solução e todos os seus processos relacionados.

Cloud computing: Embora existam diferentes formas de cloud computing (como nuvem pública, privada ou híbrida), em um ambiente de cloud computing os recursos são hospedados nas instalações do provedor de serviços, mas as empresas podem acessar esses recursos e usar o quanto quiserem em um determinado momento.

Custo

On-premise: As empresas são responsáveis ​​pelos custos contínuos de hardware de servidor, consumo de energia e espaço.

Cloud computing: As empresas que optam por usar um modelo de cloud computing só precisam pagar pelos recursos que usam, sem nenhum dos custos de manutenção e conservação, e o preço se ajusta para cima ou para baixo dependendo de quanto é consumido.

Controle

On-premise: Em um ambiente local, as empresas retêm todos os seus dados e têm controle total sobre o que acontece com eles, para o bem ou para o mal. As empresas em setores altamente regulamentados com preocupações extras com a privacidade são mais propensas a hesitar em saltar para a nuvem antes de outras por esse motivo.

Cloud computing: Em um ambiente de cloud computing, a questão da propriedade dos dados é uma questão com a qual muitas empresas - e fornecedores, nesse caso, têm dificuldade. As chaves de dados e criptografia residem em seu provedor terceirizado, portanto, se o inesperado acontecer e houver um tempo de inatividade, talvez você não consiga acessar esses dados.

Segurança

On-premise: As empresas que possuem informações confidenciais extras, como os setores governamental e bancário, devem ter um determinado nível de segurança e privacidade fornecido por um ambiente local.

Cloud computing: As preocupações com a segurança continuam sendo a barreira número um para a implantação da cloud computing. Muitas violações na nuvem foram divulgadas e os departamentos de TI em todo o mundo estão preocupados. De informações pessoais de colaboradores, como credenciais de login, a perda de propriedade intelectual, as ameaças à segurança são reais.

Compliance

On-premise: Muitas empresas hoje em dia operam sob alguma forma de controle regulatório, como a LGPD, independentemente do setor. Para empresas que estão sujeitas a essas regulamentações, é fundamental que permaneçam em conformidade e saibam onde estão seus dados o tempo todo.

Cloud computing: As empresas que escolherem um modelo de cloud computing devem garantir que seu provedor terceirizado esteja preparado e, de fato, em conformidade com todos os diferentes mandatos regulatórios de seu setor. Os dados confidenciais devem ser protegidos e clientes, parceiros e funcionários devem ter sua privacidade garantida.

Conheça a nuvem híbrida

Embora o debate dos prós e contras de um ambiente local comparado a um ambiente de cloud computing seja real, há outro modelo que oferece o melhor dos dois mundos. Uma solução de nuvem híbrida é uma solução que apresenta um elemento de diferentes tipos de modelos de implantação de TI, variando de on-premise a nuvem privada e nuvem pública.

A nuvem híbrida é uma solução que combina dois ou mais tipos de nuvem (privada e pública). Essa solução tem ajudado diversas companhias em variados segmentos a otimizar os custos e melhorar a disponibilidade e performance das aplicações. Só com a nuvem híbrida é possível mover e manter os workloads entre as nuvens de forma segura e com alta performance.

De forma prática, como funciona a nuvem híbrida?

Os serviços em nuvem híbrida são grandes aliados para as empresas que se preocupam em manter suas aplicações sempre na nuvem, com melhor custo-benefício. Assim, é possível alocar as informações em nuvem privada (data centers externos ou on-premise) e nuvens públicas de forma integrada e com uma visão única.

Principais benefícios

  • Flexibilidade: Execute as aplicações em qualquer nuvem e em diferentes entregas (IaaS, PaaS, SaaS, FaaS entre outras).
  • Performance e segurança: Assim como os atletas buscam apoio para percorrer maiores distâncias e obter melhores resultados, lembre-se de contar com o suporte de um parceiro especialista, capaz de alavancar sua performance como gestor de TI. Somente com esse tipo de apoio você conseguirá colocar o departamento em uma posição estratégica dentro da empresa com total segurança.
  • Governança e visibilidade: Ter acesso aos principais indicadores-chave de desempenho projeta a Governança de TI para agir antecipadamente e de forma assertiva na mitigação de possíveis desvios de desempenho que poderiam impactar a disponibilidade dos recursos de missão crítica. Além de seguir as melhores práticas de mercado, a empresa poderá focar em seu core business de fato.

Migração para a nuvem com segurança

Você já parou para pensar em tudo o que envolve a adaptação de uma empresa para uma computação em nuvem bem-sucedida? Processos a serem escolhidos, equipamentos que serão utilizados ou as pessoas-chave em cada etapa, entre tantos outros pormenores.

É necessário traçar um plano de migração para a cloud computing que envolve diversas etapas. Conheça, abaixo, mais sobre elas:

  • 1. Analisar o ambiente detalhadamente:
    Para identificar o que será melhor para o cliente, é preciso conhecer tudo o que envolve seus processos
  • 2. Entender o cenário da empresa:
    Nesta etapa é estudado o mindset da corporação, incluindo seus interesses em investimentos e objetivos.
  • 3. Escolher as nuvens ideais:
    Há três opções de cloud: privada, pública e híbrida. Essa escolha é feita a partir das necessidades da sua empresa.
  • 4. Definir a jornada para a nuvem:
    Após todas as avaliações do cenário da corporação, é hora de iniciar o planejamento.
  • 5. Migrar para a nuvem:
    Agora começa a execução para migrar as aplicações para a cloud computing.
  • 6. Melhoria contínua:
    Depois de realizada a migração, é preciso entrar em um ciclo de melhorias contínuas.

Conte com a ajuda da Claranet

Como deu para perceber, a migração para a cloud computing é um processo necessário para a sua empresa. Mas nem sempre tão simples de ser conduzido. Você precisa da ajuda de fornecedor trusted advisor com quase 30 anos de experiência em cloud computing.

A Claranet é especialista em modernizar e executar aplicações, serviços de dados e infraestrutura críticas. E não importa em que estágio você esteja em sua jornada na nuvem, nós sabemos o caminho. Vamos começar compreendendo os seus projetos e seus objetivos de negócios - onde você está agora, os desafios que enfrenta e onde você quer chegar.

Na Claranet, a consultoria de cloud computing e os serviços profissionais estão perfeitamente integrados à nossa estrutura. Estamos com você em cada etapa do caminho. Com a consultoria ajudamos a sua empresa a construir uma estratégia para nuvem de acordo com seus objetivos de negócio.

Analisamos aplicações e infraestrutura gerando um plano de ações para gerar valor. Desenhamos uma arquitetura aderente ao negócio de cada cliente e atuamos de forma ágil, econômica e eficiente. A vantagem competitiva da Claranet é oferecer uma estrutura modular de serviços profissionais. Esteja você procurando opções ou iniciando um novo projeto, nós atendemos a todas as fases de sua jornada na nuvem.

Casos de sucesso

A Claranet possui uma vasta experiência em migrações para a nuvem, colocando em prática o DNA Claranet de migrar, cuidar e inovar. Quer conhecer nosso know-how na prática? Então não deixe de conhecer, abaixo, alguns dos nossos casos de sucesso.

Case Lojas Bemol

“Nossa relação com a Claranet Brasil é direta. Conheço as pessoas pelos nomes, então isso tem muito valor. Somos bem atendidos por meio de um simples chamado. Por mais que se documente tudo, a palavra ainda vale muito. Temos o apoio de quem já está na linha de frente fazendo isso todo dia e, enquanto isso, projetamos os próximos passos. A tecnologia empodera nosso próprio time pois, enquanto a Claranet cuida da tecnologia, nós olhamos para o negócio.”

Jesaías Arruda, gerente de infraestrutura de TI das Lojas Bemol

Veja o case

Case Banco Fibra

"Continuar com data centers on-premise não parecia mais viável, sobretudo em um cenário com a necessidade de evolução tecnológica cada vez maior e mais ágil. Os equipamentos que eram utilizados estavam se depreciando e a renovação desse parque on-premise teria um custo de investimento maior do que o previsto para realizar uma migração completa e operar na nuvem. Ao adotar a nuvem da AWS, o banco pôde evoluir as plataformas para algo mais inovador e iniciar a aplicação da cultura de DevOps com mais facilidade."

Heverton Parpinelli, gerente de Infraestrutura e Operações

"Estamos muito orgulhosos em ser o primeiro banco tradicional a fazer a migração total para a nuvem. Este é sim um motivo para comemorarmos, mas principalmente um grande desafio devido às altas expectativas que os clientes depositam em nós como precursores de uma iniciativa como esta."

Mauro Miyazato, especialista de infraestrutura de TI do Banco Fibra e líder do projeto

Veja o case

Case Lojas Lebes

"Era evidente a nossa necessidade de remodelagem tecnológica, principalmente com a vinda de um grande programa de transformação digital que contemplava uma mudança arquitetônica e de infraestrutura com uma camada de barramento, além de interfaceamento de uma série de soluções especialistas.”

Luís Gustavo Masiero, diretor de TI e Inovação da Lojas Lebes

“A Claranet foi um elemento importante em todo o processo. Não teria como fazer isso sem já estar com a arquitetura baseada em cloud. O principal ganho para o cliente é a multicanalidade e a conveniência.”

Rafael Antunes, head de TI da Lojas Lebes

Veja o case

Conforme você navega no mundo da nuvem híbrida, sem dúvida descobrirá as vantagens de combinar nuvem pública e privada: o controle interno de que você precisa para determinados dados e aplicativos, junto com a escalabilidade da cloud computing para outros.

Dedicar um tempo para visualizar a solução de uma maneira holística para o negócio e seguir as melhores práticas o ajudará a aproveitar ao máximo esse ambiente. E, ao mesmo tempo, ficar muito mais à frente em termos de orçamento, segurança, conformidade e otimização.

Quer conhecer mais sobre a importância de se ter um plano de migração para a nuvem e como a Claranet pode ajudar?

.