Segurança na nuvem: não 'dê sopa' para o azar!

Se você olhar para as previsões de ano novo de segurança da informação do início de 2020, não encontrará em lugar nenhum uma referência a uma pandemia global sem precedentes. Mas o coronavírus aconteceu e, com o novo normal, uma rápida mudança para mais servidores em nuvem.

Isso sem dizer da popularidade dos smartphones conectados à rede, além da mudança para o trabalho remoto. As organizações tiveram que adaptar rapidamente suas medidas de proteção de dados para garantir segurança, de qualquer lugar.

Será que a sua infraestrutura atual está pronta para prover segurança na nuvem? Não 'dê sopa' para o azar, leia este post para descobrir como mitigar riscos e melhorar a proteção de dados!

COVID inaugura uma ciberpandemia

O COVID-19 forçou as organizações a deixarem de lado seus planos estratégicos e de negócios existentes e rapidamente se articularem para fornecer conectividade remota e segurança da informação em grande escala para suas forças de trabalho.

As equipes de proteção de dados também tiveram que lidar com ameaças crescentes para suas novas implantações de nuvem, à medida que os hackers buscavam tirar proveito: 71% dos profissionais de segurança relataram um aumento nas ameaças cibernéticas.

Os administradores de rede tiveram que se ajustar rapidamente aos requisitos do home office e implementar plataformas de acesso remoto em suas organizações. Infelizmente, isso resultou, em alguns casos, em configurações incorretas e conexões vulneráveis, permitindo que os invasores aproveitassem essas falhas para acessar informações corporativas.

Como resultado, apenas no primeiro semestre de 2020 houve um aumento de 85% nos ataques contra tecnologias de acesso remoto, como RDP (Remote Desktop Protocol), tecnologia desenvolvida pela Microsoft para fornecer uma interface para conexão remota.

O mercado mundial de cibersegurança deve atingir US $ 170,4 bilhões em 2022, segundo o Gartner. Isso se deve em grande parte à evolução da segurança da informação contra ameaças cibernéticas - e ao aumento da proteção de dados.

De acordo com a Cybint, 95% das violações de segurança na nuvem são causadas por erro humano. É uma lição reveladora sobre o panorama da segurança da informação.

Como aumentar a segurança na nuvem

O panorama é sério, tanto que muitas empresas continuam caindo nas armadilhas dos hackers. E a sua, já foi vítima de algum ciberataque? O ambiente cloud é seguro, mas a sua organização precisa mitigar riscos. O que fazer então? É o que você vai descobrir a seguir:

1- Falta de segurança na arquitetura da nuvem

A maioria das empresas que usam a computação em nuvem pela primeira vez não estão familiarizadas com os procedimentos de mudança do on premises para a nuvem. Na maioria das vezes, a infraestrutura interna de TI é apenas replicada para a nuvem, resultando em falhas graves de segurança da informação que levam a ataques cibernéticos.

Impactos:

  • Perda de dados valiosos e confidenciais devido a possíveis violações de dados;
  • Perda de negócios e reputação.

Como prevenir:

  • Implemente uma arquitetura de segurança adequada e segura antes de migrar para a nuvem;
  • Certifique-se de que a arquitetura é compatível com seus objetivos de negócios;
  • Atualize a arquitetura de segurança continuamente e aplique-a de forma universal.

2- Acesso deficiente e ausência de gerenciamento de controle

A falta de alteração de senhas e chaves criptográficas, como também a ausência de autenticação multifatorial e protocolos de gerenciamento de credenciais são grandes brechas na proteção dos dados. O gerenciamento do controle de acesso é essencial para a segurança na nuvem.

Impactos:

  • Dados que caiam nas mãos erradas podem levar a perdas em vários níveis;
  • Os hackers podem manipular, alterar ou excluir dados, além de espionar dados em trânsito;
  • Possibilidade de infusão de malware por hackers.

Como prevenir:

  • Certifique-se de restringir o acesso aos dados com um controle de identidade rígido;
  • Limpe a autenticação multinível para contas confidenciais;
  • Separe contas e introduza controles de acesso com base na necessidade;
  • Altere as senhas e as chaves criptográficas com frequência.

3- Violação de dados

Como vimos, as violações de dados aumentaram demais nos últimos anos. Um ataque de segurança cibernética ou roubo de dados em qualquer outra forma ou uso de dados por indivíduos não autorizados equivalem à violação de dados.

Impactos:

  • Perda de reputação e confiança dos usuários internos e clientes;
  • Possível perda de IP (propriedade intelectual) para os concorrentes;
  • As penalidades resultantes de órgãos reguladores podem afetar gravemente as finanças.

Como prevenir:

  • Protocolos de criptografia mais rígidos, embora possam prejudicar o desempenho do sistema;
  • Colocar em prática um plano de contingência com respostas a incidentes caso algum vazamento aconteça.

4- Acessibilidade fácil para usuários internos

Os usuários têm acesso irrestrito a sistemas de computador, dados, senhas e redes, sem nenhuma proteção de dados. Fica fácil que um cibercriminoso acesse o sistema e comprometa a segurança na nuvem.

O impacto seria semelhante a uma violação de dados, conforme mencionado acima.

Como prevenir:

  • Triagem e treinamento adequados para iniciados em relação à instalação;
  • Configuração e monitoramento de redes de computadores, dispositivos móveis e de backup;
  • Exercícios regulares para todos os funcionários sobre métodos para evitar phishing;
  • Revisão frequente de senhas e credenciais.

Claranet: uma nova abordagem para a segurança da informação

Como deu para perceber, pode ser difícil manter, sozinho, a segurança na nuvem. Sua empresa precisa de um parceiro de confiança que seja capaz de mitigar os perigos da falta de proteção de dados.

A Claranet é a empresa certa para ser o seu aliado na luta contra a (in)segurança da informação. Com mais de 25 anos de experiência em ajudar organizações como a sua a protegerem seu ecossistema, o trabalho começa ao realizar um profundo raio-x de todas as aplicações utilizadas, apontando vulnerabilidades e como elas podem ser reduzidas.

Nenhuma empresa é igual a outra, como as necessidades de compliance também não. Entendemos as suas necessidades e propomos um projeto de segurança completo que leve em conta a proteção de seus dados, como também a segurança da nuvem utilizada, seja ela privada, pública ou híbrida.

Em tempos em que a adequação à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) é mandatória, sua organização realmente não pode estar vulnerável. Saiba, agora mesmo, o que podemos fazer pela sua empresa! Fale com um especialista.